Arquivo mensal junho 2017

porJoLopes

Dallagnol reafirma que sociedade deve continuar mobilizada em favor da Lava Jato

O procurador da República do Ministério Público Federal no Paraná Deltan Dallagnol, coordenador da operação Lava Jato, reafirmou hoje (30) que a sociedade precisa continuar mobilizada em defesa da operação.

De acordo com Deltan Dallagnol, não é preciso apenas “retirar as maçãs podres do cesto”, mas modificar a forma de se fazer política e acabar com a impunidade, que, na visão dele, motiva empresários e agentes públicos a apostarem nos crimes de corrupção.

“Temos que mudar as condições de temperatura, pressão e umidade que fazem as maçãs apodrecerem”, ressaltou.

Para o procurador, somente a pressão da sociedade fará com que os políticos aprovem medidas que permitam o combate à corrupção. Disse, no entanto, que caso isso não ocorra, é preciso que a população escolha novos representantes. “Se quem está lá não vai mudar, temos que mudar quem está lá”, disse, acrescentando que as pessoas não devem se deixar levar pelo cinismo e pela desesperança.

Dallagnol disse que a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) confirmando as delações da JBS, deu mais segurança para que grandes operações de combate à corrupção ocorram. Na opinião do procurador, quanto mais segurança e previsibilidade os acordos de delação tiverem, mais interessados os investigados estarão em assiná-los.

Ao comentar a indicação da procuradora da República Raquel Dodge para suceder Rodrigo Janot na Procuradoria-Geral da República, disse que o presidente Michel Temer respeitou a lista tríplice dos mais votados por procuradores de todo o país, “o que preserva o ethos da instituição. Dallagnol acrescentou que Raquel Dodge tem a confiança de grande parte dos procuradores.

Deltan Dallagnol fez palestra nesta sexta-feira (30) no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, durante a reunião do Fórum Permanente de Segurança Pública e Execução Penal da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro.

(Agência Brasil/EBC)

porJoLopes

Fachin mandar soltar ex-deputado Rocha Loures

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator das ações da Lava Jato no Corte, mandou soltar o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), preso há mais de um mês na carceragem da Polícia Federal em Brasília. Em troca, Loures deverá cumprir algumas medidas cautelates, como recolhimento domiciliar.

Com a decisão, Loures deverá permanecer em casa das 20h às 6h de segunda a sexta-feira, e durante todo o dia aos sábados, domingos e feriados. Ele também deverá ser monitorado por tornozeleira eletrônica.

O ex-deputado foi flagrado pela PF recebendo uma mala com R$ 500 mil na Operação Patmos, investigação baseada nas informações da delação premiada dos executivos da JBS. Quando Rocha Loures foi preso, Fachin havia atendido a um pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Segundo o procurador, a prisão de Loures era “imprescindível para a garantia da ordem pública e da instrução criminal”.

porJoLopes

Bloqueios e atos de protesto marcam greve contra reformas do governo federal

Foto de Whatsapp

Em diversas cidades do país foram registrado bloqueios de vias e atos de protesto contra as reformas da Previdência e trabalhista. As centrais sindicais e movimentos sociais convocaram uma greve geral para hoje. O governo federal argumenta que as reformas são necessárias para o ajuste fiscal das contas públicas, retomada do crescimento da economia e geração de empregos.

Em Natal os protestos começaram logo cedo com o bloqueio da Avenida Tomáz Landim em Igapó, tendo sido normalizado depois de ação policial. No final da tarde o protesto se concentrou em frente ao maior shopping da cidade e seguiu pela Avenida Senador Salgado Filho.  Até o momento segue em direção à Árvore de Mirassol. Destaque para um grande boneco “Fora Robinson”, o governador do Estado do Rio Grande do Norte. De acordo com manifestantes isso se deve aos grandes números da violência no RN em seu governo.

Foto em Natal – por Josélia Maciel

Foto em Natal – por Josélia Maciel

São Paulo

Na capital paulista, ônibus e metrô estão funcionando, pois os rodoviários e metroviários não aderiram à greve. No começo da manhã, manifestantes bloquearam parcialmente vias da cidade, como Avenida Washington Luís, e pontos de rodovias entre elas a Rodovia Régis Bittencourt, próximos à entrada da capital paulista. De acordo com a prefeitura, o trânsito flui normalmente.

Pouco antes das 8h, manifestantes ocuparam o saguão do Aeroporto de Congonhas e promoveram um ato de protesto. Não foram registrados atrasos nos embarques e desembarques de passageiros por causa da manifestação.

Segundo a Central Única dos Trabalhadores (CUT), bancários, professores, petroleiros e profissionais da saúde devem aderir à greve.

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, as estações do metrô, barcas, trens urbanos, Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e ônibus funcionam normalmente. O mesmo ocorre nos aeroportos Santos Dumont, na região central da cidade, e no Aeroporto Internacional do Rio/Galeão, na Ilha do Governador. As agências bancárias da Caixa Econômica e do Banco do Brasil estão fechadas. Os caixas eletrônicos estão funcionando.

Manifestantes bloquearam vias e rodovias. A cidade está em estágio de atenção, desde as 6h20, por causa dos bloqueios e retenção no trânsito, o que significa que um ou mais incidentes estão atrapalhando a mobilidade em uma região.

No momento, manifestantes se concentram na Rua Pinheiro Machado, altura do Palácio Guanabara, sede do governo estadual, e também na Rua das Laranjeiras. O ato é acompanhado pela Polícia Militar, mas não provoca problemas no trânsito. As vias estão liberadas ao tráfego de veículos. Há também interdição parcial na Avenida Rodrigues Alves, zona portuária do Rio, em frente ao Hospital dos Servidores do Estado.

O tráfego está normal na Avenida Brasil, que teve problemas no trânsito pela manhã devido a interdições provocadas por manifestantes. A Avenida Brasil é a principal via expressa do Rio, ligando a zona portuária da cidade às zonas norte e oeste, e faz confluência com as rodovias Presidente Dutra e Rio Juiz de Fora.

Está previsto um ato no centro do Rio no fim do dia. O prefeito Marcelo Crivella avalia que a cidade está operando dentro da normalidade.

Foto da Agência Brasil

Distrito Federal 

Os ônibus e trens do metrô estão parados. A Justiça Federal determinou que, no mínimo, 30% da frota dos dois meios de transporte sejam mantidos em circulação. Se a medida não for cumprida, será aplicada multa de R$ 2 milhões para cada sindicato.

As agências bancárias também estão fechadas e só terminais de autoatendimento funcionam.

A Esplanada dos Ministérios está fechada para circulação de veículos. A interdição começa na Rodoviária do Plano Piloto, sentido Palácio do Planalto.

Policiais militares montaram cordões de revista nos acessos de pedestres à área para impedir a entrada de manifestantes com paus, pedras, barras de ferro ou qualquer material que possa ser usado como arma.

Além de 2.600 policiais militares na área central da cidade, 400 homens da Força Nacional estão, desde as 5h, fazendo a segurança patrimonial dos ministérios. Na greve geral de 28 de abril, vários prédios foram alvo de vandalismo. A operação seguirá até o fim da manifestação, que têm expectativa de público, segundo a Polícia Militar, de 5 mil pessoas.

Sergipe

Na capital e região metropolitana, 40 categorias aderiram à greve geral, segundo centrais sindicais. O comércio funciona normalmente no centro de Aracaju (SE), mas os mercados municipais não abriram.

Três pessoas foram detidas no início da manhã. De acordo com a Polícia Militar, eles se preparavam para fechar a ponte que liga Aracaju à cidade de Nossa Senhora do Socorro, na região metropolitana. Com os manifestantes foram apreendidos cerca de 20 pneus e três litros de gasolina.

Será realizada uma caminhada no centro da capital.

Pernambuco

Apesar de não aderirem oficialmente à greve geral, os rodoviários realizaram uma manifestação no centro do Recife, estacionando os ônibus em uma das principais avenidas da cidade, o que afetou o trânsito. Já os metroviários paralisaram totalmente as atividades e apenas a linha centro do metrô está funcionando somente nos horários de pico.

Foram registrados bloqueios em rodovias e vias na região metropolitana, como o acesso ao município de Jaboatão dos Guararapes.

Paraná 

Adesão dos trabalhadores é parcial em Curitiba. Motoristas e cobradores de ônibus e garis estão trabalhando. Os petroleiros aderiram parcialmente à greve. A categoria manteve a paralisação até as 9h e, depois, iniciou o trabalho.

Já os bancários, vigilantes e profissionais da educação estão em greve. O Hospital de Clínicas, ligado à Universidade Federal do Paraná, está fechado. Estão previstos atos de mobilização durante a tarde.

Minas Gerais

Em Belo Horizonte, os professores e os metroviários aderiram ao movimento de paralisação. Na capital mineira, as estações do metrô estão fechadas.

Já a adesão dos bancários e profissionais de saúde é parcial. De acordo com o sindicato dos bancários do estado, algumas agências bancárias irão abrir com quadro de funcionários reduzido.

Manifestantes fizeram pela manhã atos de protesto no centro da cidade, e chegaram a interditar algumas vias. O trânsito já está liberado.

Acre

Em Boa Vista, manifestantes bloquearam duas das principais avenidas da cidade, que foram liberadas às 9h, quando os manifestantes se dirigiram em carreata para o centro cívico da capital.

Hoje foi decretado ponto facultativo pelo governo estadual e municipal por causa do feriado municipal de São Pedro, que foi ontem (29). Com isso, os serviços públicos não foram afetados pela greve.

* Com informações das sucursais de São Paulo e do Rio de Janeiro e da Radioagência Nacional

Edição: Carolina Pimentel/Agência Brasil
porJoLopes

Marco Aurélio autoriza volta de Aécio ao Senado e nega pedido de prisão

Brasília – Senador Aécio Neves, após encontro com o presidente Michel Temer, fala sobre a reforma da Previdência, no Palácio do Planalto (Valter Campanato/Agência Brasil)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello autorizou hoje (30) o senador Aécio Neves (PSDB-MG) a retomar as atividades parlamentares no Senado Federal. Aécio não comparece à Casa desde 18 maio, quando foi afastado pelo ministro Edson Fachin, após a Operação Patmos da Polícia Federal. No texto, Marco Aurélio manteve decidão anterior de negar o pedido de prisão preventiva do senador.

No documento, Marco Aurélio, entretanto, proíbe o senador de deixar o país e de fazer contato com outros investigados ou réus no processo.

“Provejo o agravo para afastar as medidas consubstanciadas na suspensão do exercício de funções parlamentares ou de qualquer outra função pública, na proibição de contatar outro investigado ou réu no processo e na de ausentar-se do país, devolvendo ao agravante a situação jurídica que lhe foi proporcionada pelos eleitores no sufrágio universal”, diz a decisão.

A Procuradoria Geral da República (PGR) havia pedido a prisão de Aécio, que foi negado por Fachin. Na decisão de hoje, o ministro Marco Aurélio manteve a decisão e descartou a prisão preventiva do parlamentar. “Julgo prejudicado o agravo formalizado pelo procurador-geral da República em que veiculado o pedido de implemento da prisão preventiva do agravante”, determina Marco Aurélio.

Em nota, divulgada por sua assessoria, Aécio Neves diz que recebe a decisão com serenidade.

“Recebo com absoluta serenidade a decisão do ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal, da mesma forma como acatei de forma resignada e respeitosa a decisão anterior. Sempre acreditei na Justiça do meu país e seguirei no exercício do mandato que me foi conferido por mais de 7 milhões de mineiros, com a seriedade e a determinação que jamais me faltaram em 32 anos de vida pública”, diz a nota.

O presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), divulgou nota hoje elogiando a decisão do ministro Marco Aurélio Mello. Jereissati classificou a decisão de “justa e equilibrada” e afirmou que ela é “coerente com a separação e a independência entre os Poderes”. (Agência Brasil)

porJoLopes

Importância das políticas públicas para o segmento infantojuvenil

Por Cícera Katiucia da Silva
Assistente Social – Casa Durval Paiva
CRESS/RN 3595

Ao longo dos anos, crianças e adolescentes vem sendo as maiores vítimas das desigualdades sociais no Brasil, com a não efetivação de seus direitos, tendo em vista que estão submetidos às situações de vulnerabilidade e riscos sociais (trabalho infantil, abandono familiar, consumo de drogas, violência, desnutrição, exploração, prostituição, dentre tantos outros). O que presenciamos, na atualidade, é a luta pela sobrevivência, são crianças pobres pertencentes à classe pauperizada da população brasileira, sujeitos que se particularizam em cada história, cidadãos que são negligenciados, quando a estes são negados um tratamento digno e humanizado.

Entretanto, ao defini-los conforme preconiza o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) estabelecemos as diretrizes e ações as quais deverão ser seguidas, como forma de defender e garantir esses direitos. Possibilitando assim, que seja assegurada saúde, educação, alimentação e habitação, através da ampliação de políticas públicas, voltadas a esse público e suas famílias, muito embora, na prática, o que se observa é a insuficiência dessas políticas.

É imprescindível à universalização dos direitos, para que todos possam ter acesso aos serviços com integridade e dignidade, em especial, as crianças e adolescentes oncológicos. Mas, para que isso aconteça de fato, faz-se necessária uma articulação entre as Organizações da Sociedade Civil (OSCs) e o Estado, a fim de que este elabore propostas e estratégias democráticas, voltadas à concretização e reconhecimento daqueles que compõem a sociedade – os cidadãos.

É importante aqui destacar a relevância dessa parceria entre Estado e Organizações Não Governamentais (ONGs), uma vez que estas atuam como parceiras e executoras de políticas públicas sociais, colaborando significativamente para qualidade de vida dos cidadãos, contribuindo na qualificação das políticas públicas, aproximando-as dos usuários, da realidade vivenciada pelos pacientes e familiares, possibilitando o atendimento às demandas de forma qualificada.

É preciso considerar que a vida em sociedade pressupõe organização, política, econômica, cultural e social implicando, consequentemente, na existência de direitos e deveres para todos. Muito embora saibamos que esses, em sua maioria, são negados aos cidadãos, quando deveriam ser assistidos por políticas capazes de abarcar as demandas existentes, proporcionando um atendimento qualificado e humanizado.

A negação aos cidadãos ocorre quando esses não são efetivados/materializados através das políticas públicas, as quais deveriam buscar atender as demandas postas pela sociedade, em especial, os pacientes oncológicos que, em sua grande maioria, apresentam/perpassam por situações sociais diversas e aqui cabe destacar o trabalho desenvolvido na Casa Durval Paiva, instituição inserida no terceiro setor que compõe a rede de proteção e participa como membro ativo de conselhos de direitos, realizando atendimento a criança e adolescente com câncer e doenças hematológicas crônicas, contribuindo para o resgate, dignidade e qualidade de vida de pacientes e familiares.

Portanto, é importante a articulação intersetorial entre os órgãos que compõem a rede de proteção, conforme propõe o ECA. Tendo em vista que a rede configura-se como a porta de entrada para pacientes e familiares, sendo de extrema relevância a articulação entre as políticas públicas, em especial, saúde, assistência social e educação, uma vez que, como conjunto de programas e atividades que norteiam as ações do poder público, buscam garantir direitos assegurados na Constituição Federal de 1988 e em leis de forma difusa ou para determinado seguimento social.

porJoLopes

TRT-RN: Rodoviários devem garantir 70% da frota nesta Sexta (30) apenas nos horário de pico

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Rio Grande do Norte (SINTRO) deve se abster de promover a paralisação total do Sistema de Transportes Públicos Urbanos nesta sexta-feira (30).

Caso os trabalhadores decidam paralisar o serviço, conforme anunciado, o SINTRO deve garantir minimamente o funcionamento desse serviço essencial, com 70% da frota circulando nos horários de pico (6 às 9h da manhã e 17 às 20h) e de 50% nos demais horários.

Liminar neste sentido foi concedida nesta quinta (29) pela presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN), desembargadora Auxiliadora Rodrigues, no julgamento de uma Ação Declaratória de Abusividade de Greve, impetrada pelo Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município de Natal (SETURN).

O SINTRO também deve permitir “a livre movimentação dos empregados que não desejem aderir ao possível/pretenso movimento paredista veiculado nos últimos dias pela imprensa, sob pena de multa diária de R$ 20 mil para cada tipo de descumprimento”, decidiu a desembargadora.

porJoLopes

Governo começa pagar junho e diz que restante dependerá de disponibilidade de caixa.

O Governo do RN inicia nesta quinta-feira (29) o pagamento do funcionalismo de junho, quando deposita os salários dos 23.267 servidores ativos da Educação e da Administração Indireta que possuem recursos próprios, uma soma equivalente a R$ 50,1 milhões.

Na mesma data, os servidores da Educação também recebem a primeira parcela do 13º salário, adiantamento que os servidores da Administração Indireta independente já receberam desde 24 de junho. O pagamento de 40% do 13º salário para os dois grupos, somado ao início da folha de junho, representa uma injeção de mais R$ 75 milhões na economia.

O pagamento de junho das demais categorias será realizado a partir da disponibilidade de caixa. O 13º salário do funcionalismo será quitado durante o exercício de 2017.

porJoLopes

FEIRN na posse da UNP

O vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (FIERN), Pedro Terceiro de Melo, participou na noite desta terça-feira, 28, no Teatro Riachuelo, da posse do novo Diretor-geral e Reitor da Universidade Potiguar (UnP), Gedson Bezerra Nunes.  O evento, muito concorrido, contou com participação da classe acadêmica, alunos e funcionários da Universidade, além de autoridades civis e militares.

porJoLopes

Em reunião com prefeitos e deputado, Robinson encaminha pleitos do interior

O governador Robinson Faria recebeu nesta quarta-feira, 28, prefeitos de quatro municípios para tratar de pleitos das administrações. A primeira audiência foi com o prefeito de Campo Grande, Manoel Veras, que solicitou      apoio para melhorias no serviço de saúde, instalação de uma maternidade e reforço na segurança pública.

Em Boa Saúde/RN – Foto: Rayane Mainara.

Em seguida o Governador recebeu o prefeito de Touros, Assis do Hospital, que solicitou a recuperação da estrada que liga a praia de Carnaubinha ao município de Rio do Fogo e abastecimento de água das comunidades Chico Mendes I e II, Tubiba, Encanto e Baixa Furna.

Na terceira audiência, Robinson Faria atendeu o prefeito de Ipanguassu, Valderedo Bertoldo, que solicitou a instalação do programa Moradia Cidadã Municípios, recuperação de estradas e o reforço nas operações de segurança pública.

Na quarta audiência da manhã deste dia 28, o Governador ouviu a prefeita de Boa Saúde, Maria Edice, que veio acompanhada dos vereadores Andressa Edna, Danilo Gabriel, Dinho dos Miguel e Rosangela Vechi. A prefeita solicitou apoio para a construção de um binário no centro da cidade para facilitar o tráfego de veículos pesados que transportam a produção local de mandioca e de açúcar dos municípios próximos. E também melhorias nas estradas que fazem a ligação com os municípios de Serrinha e Serra Caiada.

O Governador encaminhou os pleitos às secretarias responsáveis e determinou agilidade no atendimento. “Estamos trabalhando forte, enfrentando as dificuldades agravadas com a crise nacional, os sete anos de seca, mas buscando soluções para as demandas. Estamos levando ações para os municípios como recuperação de estradas, apoio à produção, apoio à agricultura familiar, o Microcrédito Empreendedor, ações de cidadania com o Vila Cidadã, reestruturação das unidades de saúde, construção e reforma de unidades prisionais e várias outras ações que têm impacto direto junto à população que mais precisa do Governo”, afirmou Robinson Faria, logo após as audiências que foram acompanhadas também pelo deputado estadual José Adécio.

Em Ipanguaçu/RN – Foto: Rayane Mainara

Em Touros/RN – Foto: Rayane Mainara

Em Campo Grande/RN – Foto: Rayane Mainara

porJoLopes

RN atinge a meta de desmatamento zero de Mata Atlântica

O maior parque urbano do país sobre dunas, o Parque das Dunas, é apenas um das principais reservas de Mata Atlântica no Rio Grande do Norte. Com cerca de 1.170 hectares, o local abriga mais de 250 espécies de plantas e animais. Além do parque, o RN ainda conserva outros remanescentes do bioma, como a Área de Proteção Ambiental Bonfim-Guaraíras que possui 290.88 hectares de Mata Atlântica, e a APA Piquiri-una que abrange cinco municípios da região agreste do estado.
 
O trabalho de preservação e conservação ambiental desses e outros trechos da Mata Atlântica em 38 municípios do RN tem rendido bons frutos. Os dados do Atlas da Mata Atlântica, referentes ao período de 2015 a 2016, mostram que o Rio Grande do Norte atingiu a meta de desmatamento zero. O documento foi produzido pela Fundação SOS Mata Atlântica e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).
 
Apesar dos números nacionais apontarem o desflorestamento de 291 km² do bioma no período de estudo, o Rio Grande do Norte apresentou apenas 6 hectares de Mata degradados, quando o limite para estar no nível de desmatamento zero são 100 hectares.
 
O dado positivo é reflexo do maior controle ambiental do Governo do Estado, através da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do RN (Semarh) e do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema). Além disso, outros fatores que garantiram o desmatamento zero neste período foram a observância e o cumprimento da Lei 11.428 da Mata Atlântica e o apoio aos municípios, principalmente no que diz respeito ao licenciamento, monitoramento e fiscalização ambientais.
 
“O IDEMA segue rigorosamente a lei da Mata Atlântica, bem como a lei 12.651/2012 do código florestal. Trabalhamos firme na fiscalização das áreas de proteção ambiental para coibir qualquer indício de desmatamento do bioma”, ressaltou Rondinelle Oliveira, Diretor-geral do Idema.
 

Para continuar as ações de preservação do bioma, a Semarh iniciará nos próximos dias uma série de reuniões com os municípios para discutir a elaboração dos planos municipais de Mata Atlântica. “O governo tem somado esforços para garantir que os ecossistemas de mata, restinga e manguezal, que fazem parte da Mata Atlântica no Rio Grande do Norte permaneçam preservados. Para isso, estamos em diálogo com os municípios e colaborando para a criação dos planos”, afirmou o secretário da Semarh, Ivan Júnior.

 
Na última sexta-feira (23), o secretário adjunto da Semarh, Mairton França, participou do 3° Encontro dos Secretários de Meio Ambiente e dos Estados da Mata Atlântica, no Rio de Janeiro, onde apresentou a situação do bioma no RN e as ações que estão sendo desenvolvidas pelo governo estadual.
 
“Em 2015, assinamos um documento juntamente com outros 16 estados, com o compromisso de bater a meta de desmatamento zero e ampliar a cobertura vegetal nativa. Dois anos depois, nos reunimos novamente, mostramos que o Rio Grande do Norte obteve resultados positivos e estamos empenhados para melhorar ainda mais os números”, disse Mairton.
AÇÕES DE PRESERVAÇÃO
 
Plano de Manejo do Parque das Dunas
No primeiro semestre do ano passado, o Idema iniciou a revisão do Plano de Manejo do Parque das Dunas que era de 1989. Uma equipe de 25 técnicos está fazendo o levantamento do meio físico (relevo, geologia, solo), biológico (fauna e flora) e socioeconômico, com o objetivo não só de atualizar as informações, mas também buscar ferramentas para cada vez mais mantê-lo preservado. Com esse trabalho já foram descobertas mais de 200 espécies novas de flora e fauna. O órgão ambiental está também retirando algumas espécies de plantas exóticas encontradas no local e doando-as com o objetivo de manter o bioma do parque.
 
Reflorestamento da Mata do Pilão
 
A Mata do Pilão, localizada dentro da APA Piquiri-UNA recebeu no último mês de maio cerca de três mil mudas de plantas nativas. A área que é de grande importância para o lençol freático da bacia Piquiri-Uma, foi atingida por um incêndio em outubro de 2016. Em visita ao local no início deste ano, a equipe técnica do Idema constatou uma regeneração natural da área. Para acelerar o processo de recuperação da mata, órgão ainda realizou um mutirão para o plantio de milhares de mudas de Pau-brasil, Ipê Amarelo, Ipê Roxo, Jatobá, Sucupira, entre outras.
 
Cercamento do Parque Estadual Mata da Pipa (PEMP)
 
Outra ação de destaque de preservação da Mata Atlântica é o cercamento do Parque Estadual Mata da Pipa (PEMP), iniciado neste mês de junho. Localizado na APA Bonfim-Guaraíras, em Tibau do Sul, o perímetro do PEMP compreende 11,3km e está recebendo cercas de concreto. O trabalho conta com o apoio dos moradores da região e visa preservar toda a área do parque. A obra tem recursos próprios do Idema e deverá ser concluída em no máximo 90 dias.