Arquivo de tag indústria

porJoLopes

Pesquisas sobre eficiência energética são apresentadas ao Sindicato da Indústria Cerâmica

As pesquisas mais recentes sobre a eficiência energética de fornos para a indústria cerâmica foram apresentadas a lideranças empresariais do setor, na manhã esta segunda-feira, 06. O pesquisador Luis Ricardo Oliveira Santos, da Universidade de São Carlos (SP), fez uma exposição, na Casa da Indústria, sobre seus estudos e análises de eficiência destes equipamentos.

As pesquisas podem ser úteis para a indústria cerâmica do Rio Grande do Norte. Os levantamentos indicam os rumos mais adequados aos investimentos para melhoria da produtividade e sustentabilidade das empresas.

O vice-presidente da FIERN, Pedro Terceiro de Melo, destacou que essas pesquisas devem colaborar para o desenvolvimento da indústria cerâmica no Estado, uma vez que apontam alternativas para fontes de energia e os equipamentos que sejam sustentáveis e permitam um processo produtivo mais competitivo. O presidente do Sindicato da Indústria Cerâmica do RN, Vargas Soliz, também reafirmou a utilidade destes estudos.

Luis Ricardo é engenheiro industrial e mestre em ciência de materiais. Fez pós-graduação no Japão, na Universidade de Nagoy, e está fazendo doutorando em planejamento e uso de recursos renováveis.
Nestes estudos, ele tem se dedicado a fazer um diagnóstico das fontes de energia da indústria cerâmica e de possíveis alternativas que melhore a eficiência no setor. Um de seus orientadores é a professora Rosimeire Cavalcante dos Santos, da UFRN, que também participou da reunião desta segunda-feira na Casa da Indústria.

porJoLopes

Relator da reforma tributária apresentará proposta para empresários segunda, 17

Uma das reformas mais importantes para o país, a Tributária, será debatida segunda-feira, 17, na Casa da Indústria, durante a reunião da Diretoria da FIERN, com o deputado federal paranaense Luiz Carlos Hauly. Economista e duas vezes Secretário da Fazenda do Paraná, o parlamentar é relator da reforma na Câmara Federal. Ele é apontado por pesquisas como um dos mais preparados parlamentares do Congresso nas áreas de Finanças e Tributação.

Relator desta matéria na Comissão Especial da Câmara, Hauly tem sido, há mais de 20 anos, um líder nacional na defesa da Reforma Tributária. Desde que assumiu a relatoria, ele já realizou mais de 50 palestras pelo Brasil, para lideranças dos mais diversos setores, apresentando o seu projeto de Reengenharia Tributária. “A aceitação tem sido quase que unânime, entre empresários e representantes de trabalhadores, justamente porque há hoje um entendimento claro de que a Tributária é a principal reforma para aumentar a competitividade das empresas, alavancar a retomada do crescimento e também a geração do emprego”, explica Hauly.

Na atual fase, que deve durar até meados de agosto, o Deputado Paranaense deve concluir o seu roteiro de aproximadamente 80 palestras, seguidas de debates com os participantes. “Essa ampla discussão com lideranças de todos os segmentos, é parte da estratégia de apresentar a Reengenharia Tributária como necessária e oportuna para ajudar o País sair da crise, além de garantir o apoio da sociedade para que, ainda em agosto, quando essa matéria iniciar a sua tramitação no Congresso, ela possa ter o respaldo de lideranças empresariais e de representantes dos trabalhadores para sua aprovação.

Como a Reforma Tributária já é discutida há mais de 30 anos no País, sempre impedida de avançar devido a guerra de partilha entre Estados, Municípios e a União, Hauly introduziu um mecanismo para eliminar essa disputa. Cada ente da federação terá direito ao mesmo percentual do bolo tributário que já tem recebido nos últimos anos, e à medida que o País volta a crescer, todos ganham e igualmente se desenvolvem. “É neste momento de crise que temos que buscar alternativas para o País, e a Reforma Tributária é uma alavanca para a retomada do crescimento”, assegura Hauly.

porJoLopes

Cerâmica T.Melo recebe certificação no Rio Grande do Sul

Pedro Terceiro de MeloO Vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte participou da solenidade Oficial de abertura do 44º Encontro Nacional da Indústria da Cerâmica Vermelha, realizada em Porto Alegre/RS. A cerimônia contou com a presença de autoridades, representantes da indústria e do setor cerâmico e de renomadas instituições.

Durante a solenidade de abertura, foram entregues os certificados de qualificação no Programa Setorial de Qualidade (PSQ), do PBQP-H, para as empresas que se adequaram às normas técnicas. Entre ela a Cerâmica T.Melo. A certificação foi entregue pelo Presidente da Associação Nacional da Indústria Cerâmica (Anicer), Cesar Vergílio Oliveira Gonçalves, a Terceiro Melo e ao Diretor-administrativo da empresa Ciro Holanda.

Os convidados também conheceram a grande vencedora do Prêmio Jovem Ceramista 2015, a estudante do Centro Universitário Barriga Verde – UNIBAVE, Jordana Mariot Inocente. A jovem escreveu o trabalho intitulado “Estudo das perdas térmicas de um forno túnel brasileiro”, sob a orientação de Vitor de Souza Nandi.

Participaram do evento o secretário de estado do RS, do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Fábio Branco, representando o governador do estado do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori; o presidente do Sistema Fiergs, Heitor José Müller; o superintendente executivo de Habitação da Caixa, Itamar Antônio Miola, representando a presidente da Caixa, Miriam Belchior; o conselheiro deliberativo do Sebrae/RS, Gilmar Tiebohl; o presidente do Sindicer/RS, Jorge Romeu Ritter; e também o presidente da Anfamec, Matheus Rodrigues.

No Rio Grande do Sul existem em torno de 640 cerâmicas formalizadas, que juntas produzem por mês, aproximadamente, 65 milhões de peças, entre blocos e telhas.

porJoLopes

Confederação Nacional da Indústria emite Carta à Nação

A Confederação Nacional da Indústria (CNI), as confederações do setor produtivo e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) lançaram, na última quarta-feira (19), a Carta à Nação. Trata-se de um documento que aponta as ações estruturais que devem ser imediatamente tomadas para que o Brasil enfrente a crise ética, política e econômica que está passando. O documento é a primeira medida do Fórum lançado também nesta quarta-feira, formado ainda pela Confederação Nacional do transporte (CNT) e pela Confederação Nacional de Saúde (CNS). O grupo será permanente, apartidário e independente, com o único objetivo de apresentar propostas para que a sociedade civil tenha um papel ativo na construção de um país mais seguro juridicamente. Veja a íntegra:

CARTA À NAÇÃO
O Brasil se encontra numa crise ética, política e econômica que demanda ações imediatas para sua superação.
Independentemente de posições partidárias, a nação não pode parar nem ter sua população e seu setor produtivo penalizados por disputas ou por dificuldades de condução de um processo político que recoloque o país no caminho do crescimento.
É preciso que as forças políticas, de diversos matizes, trabalhem para a correção de rumos da nação. É uma tarefa que se inicia pelo Executivo, a quem cabe o maior papel nessa ação, mas exige o forte envolvimento do Congresso, Judiciário e de toda a sociedade.
Mudanças, respeitando-se a Constituição, se fazem necessárias.
Por um lado, é preciso dar força aos órgãos de investigação e ao Poder Judiciário para que, nos casos de corrupção, inocentes sejam absolvidos e culpados condenados. A corrupção não pode seguir como um empecilho para o desenvolvimento do país.
É preciso implementar, de maneira célere e efetiva, medidas para melhorar o ambiente de negócios no país, evitando o crescimento do desemprego ou o prolongamento da recessão.
Entre elas, destaca-se a necessidade de ampliação da segurança jurídica no país, com regras claras e cumprimento de contratos e obrigações, evitando que potenciais investimentos sejam perdidos.
A nação também precisa ser desburocratizada, facilitando o processo produtivo e garantindo um ambiente de negócios em que o Estado deixe de agir como um freio à expansão econômica.
É preciso que seja realizado um forte investimento em infraestrutura, em parceria com a iniciativa privada nacional e estrangeira, para retornar o processo de crescimento econômico.
Deve-se, ainda, reduzir imediatamente o tamanho do Estado, assegurando que o mérito e o profissionalismo sejam os critérios na escolha de servidores.
Também não é mais possível postergar a reforma tributária, que deve eliminar fontes de cumulatividade e garantir direitos aos contribuintes.
Noutro campo, também deve-se rever as regras de crescimento automático de gastos de modo a permitir a sustentabilidade dos investimentos em saúde e educação, e sem abdicar da necessidade de permanente inclusão de novos segmentos da sociedade brasileira no mercado de consumo.
Esperamos a sensibilidade dos políticos eleitos para a implementação de uma agenda que abra caminhos para a superação das crises e para a recuperação da confiança dos brasileiros.
Por fim, as entidades signatárias, com a publicação desta carta, formam um fórum permanente de apresentação de propostas para que a sociedade civil tenha um papel ativo na construção de um Brasil democrático e próspero.
Brasília, 19 de agosto de 2015.
porJô Lopes

FIERN inaugura escritório da Câmara de Comércio Alemã no RN e assina convênio de capacitação

Foto: Filipe Bruno

Foto: Filipe Bruno

Por Jô Lopes

Em evento realizado na Casa da Indústria, a Câmara de Comércio Brasil Alemanha (AHK) e a Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (FIERN) assinaram, na tarde desta quinta-feira (23), o acordo de cooperação que oficializa a inauguração do escritório da AHK no Estado e também o convênio para qualificação profissional com instituições da Alemanha. A solenidade contou com a presença do Presidente do Parlamento do Estado da Renânia Palatinado, Joachim Bernd Mertes.

Em seu discurso de abertura o Presidente da FIERN, Amaro Sales de Araújo, falou sobre as potencialidades do RN e sobre a importância da parceria com o Estado alemão da Renânia Palatinado. “Viemos de um longo processo de formação de parceria que foi liderado pelo Cônsul Honorário Axel Geppert, agora temos o privilégio de ter um escritório da Câmara aqui. Hoje somos um pouco da Renânia fora da Alemanha”, disse.

A Vice-governadora e Secretária de Economia, Proteção Climática, Energia e Planejamento do Estado da Renânia-Palatinado, Eveline Lemke, informou que o vai investir um orçamento de R$ 1 milhão de reais na área da capacitação profissional.  “Somos um país carente de mão-de-obra qualificada e esperamos que com esse acordo possamos contribuir para a formação de profissionais do RN”. Ela enfatizou ainda que será satisfatório receber profissionais qualificados em seu país.

O convênio é financiado pelo Governo da Alemanha e foi assinado entre o SENAI-RN, a AgroScience, HWK Trier e OKo-Domo, visando a qualificação de mão-de-obra na construção civil. Pelo convênio, serão oferecidos cursos de qualificação em Natal e na Alemanha. O detalhamento da parceria foi apresentado pela Diretora Regional do SENAI, Roseanne Albuquerque.

Sobre o “Ponto de Contato”, o Diretor Executivo Adjunto da Divisão de Energias Renováveis da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha explicou os motivos da instalação do escritório no RN. “O Rio Grande do Norte tem grandes possibilidades de cooperação nas áreas de energias renováveis, turismo e qualificação profissional, por isso estamos aqui”, explicou o Diretor que também elogiou as dimensões territoriais do Brasil. “Todos os países da Europa cabem no Brasil”. A apresentação do escritório  foi feita por Sofie Wilms, funcionária alemã no CIN/FIERN.

Após a assinatura do acordo e do convênio foi realizado o descerramento da placa de inauguração do escritório que é o primeiro da Câmara no Nordeste e vai funcionar juntamente com o Centro Internacional de Negócios da FIERN.

RENÂNIA-PALATINADO – Os representantes da Câmara de Comércio presentes ao evento explicaram que Renânia é uma das mais dinâmicas regiões da Alemanha, com um bom relacionamento tradicional com os três países vizinhos: França, Luxemburgo e Bélgica. Os produtos oriundos do estado têm grande demanda tanto nos mercados nacionais como nos internacionais. A Renânia-Palatinado é campeã de exportação entre os estados alemães e produz todo ano diversos vinhos premiados.

porJô Lopes

Encerramento dos Projetos do PROCOMPI 2010-2015 é realizado na FIERN

DSC_0563p

Por Jô Lopes

O encerramento dos projetos do Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Empresas (PROCOMPI) no Rio Grande do Norte foi apresentado no final da tarde desta quinta-feira (23), em um seminário realizado no Auditório Joaquim Victor de Holanda, na Casa da Indústria.

“É uma satisfação tratar de setores tão importantes de nossa economia com ênfase nas micro e pequenas empresas. Eu insisto que o micro e pequeno empresário precisam ter tratamento diferenciado, pois formam a sustentação econômica do nosso país”, disse o Presidente da FIERN, Amaro Sales, em breve pronunciamento.

De acordo com a Coordenadora Nacional do Procompi, Suzana Silveira, desde fevereiro de 2010 foram implantados 116 projetos, distribuídos em 25 unidades da Federação, que envolvem mais de 2.500 empresas industriais de micro e pequeno porte.

“Nesta edição foram contempladas as indústrias de bebidas e águas minerais, panificação, cerâmica vermelha, gráfica, polpas de frutas e água de coco. Em nossa pesquisa econômica sobre desempenho registramos um aumento de 35% na competitividade das empresas beneficiadas”, afirmou, explicando que a pesquisa foi importante porque abre precedentes para continuidade da parceria para novos projetos.

Durante o evento, presidentes e representantes dos sindicatos dos setores parceiros fizeram apresentações dos projetos considerados “cases” de sucesso. Para Vinícius Costa Lima, Presidente do SINGRAF, que fez uma explanação sobre o setor no Brasil e no RN, a parceria é muito importante. “A parceria possibilita que as empresas de menor porte possam fazer o que não conseguiriam realizar sozinhas e permite a interatividade no mercado industrial”, disse.

Os sindicatos contemplados são o Sindicato das Indústrias de Bebidas e Águas Minerais do Estado do Rio Grande do Norte (SICRAMIRN), o Sindicato da Indústria Cerâmica para Construção do Estado do Rio Grande do Norte (SINDICER-RN), o Sindicato das Indústrias de Confeitaria e Panificação de Natal (SINDIPAN), o Sindicato de Polpas e Derivados de Frutas e Água de Coco do Rio Grande do Norte (SINDIFRUTAS) e o Sindicato das Indústrias Gráficas do Rio Grande do Norte (SINGRAF).

O evento fechou um ciclo de cinco anos de parceria entre Confederação Nacional da Indústria (CNI), Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (FIERN), Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e Serviço de Brasileiro de Apoio ás Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE/RN) e os sindicatos filiados ao Sistema Indústria.

Participaram do Seminário o Vice-presidente da FIERN, Pedro Terceiro de Melo; o Diretor-tesoureiro da FIERN, Roberto Serquiz; o Superintendente Corporativo do Sistema FIERN, Raimundo Cruz; a Superintendente do IEL, Maria Angelica Teixeira e Silva; o Chefe de Gabinete da Presidência da FIERN, Fernando Antonio Bezerra, representantes das instituições parceiras, gestores e colaboradores do Sistema FIERN.